segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Livro Fracasso e Glória, Cláudio Miranda

Capa do livro Fracasso e Glória, de Cláudio Miranda

Mateus 4.18-20 é a primeira referência a Pedro nos evangelhos. Trata-se de seu chamado para seguir a Jesus. Ele estava em sua atividade rotineira de pescador, quando Jesus o convida a segui-lo. A partir deste texto, nada se pode dizer de Pedro, a não ser que era um pescador. O que Jesus viu de especial nele, é uma daquelas coisas que só a Deus pertence, e não fosse conhecermos sua história daqui para diante, nunca o saberíamos.
Não foi um começo arrebatador, nada tão impressionante. Apenas um convite seguido de uma promessa, que certamente nem Pedro sabia o que significava, mas iria descobrir nos próximos três anos.
Em Atos dos Apóstolos, a última referência a ele, é à sua intervenção na Assembléia de Jerusalém, em Atos 15. Ali, sua palavra é a de um homem maduro e ponderado, que considera  com equilíbrio e sensatez. Um homem de Deus que compartilha da liderança da igreja.
No entanto, não pensemos que foi sempre assim. Ao contrário: ao avompanharmos sua trajetória veremos que ela foi muitíssima acidentada, com altos e baixos impressionantes. O caminho percorrido entre um momento e outro (entre Mateus 4 e Atos 15) foi marcado por experiências incríveis. É legítimo dizer que ele o viveu entre as alturas da revelação e da glória, e o fundo do poço da negação. É esse processo que eu o caracterizou como vivido "entre o fracasso e a glória".

Trecho do Livro
Fracasso e Glória, Uma abordagem psicoteológica da biografia de Pedro.
Cláudio Miranda
2015

Boas leituras!

Nenhum comentário:

Postar um comentário