quinta-feira, 3 de março de 2016

Sobre o Vento, Maria Emília Resendes


Foto de Projeto LEIA Gravataí.




Compartilho esse belo texto da Emília, de 05/11/13,

"Não tenho paciência para o vento...
Fernando Pessoa escreveu que só de ouvir o vento passar valia ter nascido...

Érico Veríssimo se queixava que o tempo custava a passar quando se espera, principalmente quando venta. Parece que o vento maneia o tempo...

Mario Quintana disse que a maior dor do vento, era não ser colorido...

E William Ward mais precavido dizia que o pessimista se queixa do vento, o otimista espera que ele mude, e o realista ajusta as velas...

Mas enfim, disse Sêneca: não existe vento favorável para o marinheiro que não sabe aonde ir...

Estamos na estação dos ventos... sopra frio e impertinente o dia inteiro... na minha cidade geralmente a noite é tranquila, mas esse período da tarde é inclemente... é um vento que açoita, assola, entra pelos ouvidos, assovia lamentoso, não tenho paciência para o vento... Maria Emilia Resendes
"Que vaidosos cata-ventos somos nós!" [ Emily Brontë ]

Publicado originalmente:  http://milaresendes.blogspot.com.br/…/o-vento-e-minha-falta…

Boas leituras! 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário